São Sebastião adere à campanha “Sol, Amigo da Infância”!

A primavera chega com uma ótima notícia para a proteção da pele! É que a Sociedade Brasileira de Dermatologia-Regional São Paulo (SBD-RESP) firmou parceria com a Prefeitura Municipal de São Sebastião, litoral norte de São Paulo.

Com isso, 12.800 alunos, além de professores e educadores, entrarão em contato com os ensinamentos da campanha “Sol, Amigo da Infância”. No último dia 19 de setembro 50 profissionais da educação e agentes de saúde do município passaram por um curso de formação ministrado pelo dermatologista Francisco Ferreira, da SBD-RESP.

A ação entre a nossa campanha e a Prefeitura envolve as secretarias municipais de Educação e Saúde e vai durar todo o semestre, esclarecendo crianças e adultos sobre a importância da proteção da pele contra os raios nocivos do sol.

Foco do programa:

Ensino Fundamental 1 – 1º ao 5º ano – 18 escolas – 5.887 alunos

Demais segmentos:

Infantil – 18 creches – 1.601 alunos

EMEI – 20 escolas – 2.045 alunos

Ensino Fundamental 2 – 11 escolas – 4.575 alunos

Seis projetos externos e 22 Núcleos do Programa de Saúde da Família com a participação de enfermeiras.

Camada de Ozônio é uma grande aliada da nossa pele

Em 16 de setembro comemora-se o Dia Internacional de Preservação da Camada de Ozônio. A data foi instituída pela ONU em 1994, e é uma ótima oportunidade para nos conscientizarmos da importância desta camada da atmosfera, responsável por filtrar – ou absorver totalmente – os raios ultravioleta emitidos pelo sol.

A camada de ozônio impede que a maior parte dos raios UVB chegue à superfície da Terra. Impede ainda que toda a radiação UVC (muito nociva à vida) atinja o planeta. Sem tal proteção, a vida na Terra seria inviável. Apenas os raios UVA ultrapassam por completo a atmosfera.

Como sabemos, a ação do homem por meio da industrialização e das alterações drástica na natureza tem provocado danos à camada de ozônio, fazendo assim com que mais raios nocivos cheguem à superfície. Com isso, aumentam as incidências de melanomas e demais problemas sérios na pele e nos olhos. Além, é claro, de desequilíbrios ambientais.

Os grandes vilões da camada de ozônio são os clorofluorcarbonos (CFCs), muito difundidos pela indústria e presente em produtos como sprays e ar- condicionado. Desde 1987, no entanto, a ONU vem criando protocolos para a redução da emissão de CFC, e o consumo deste gás já foi reduzido em até 80% ao redor do mundo.

O problema é que apenas esta medida não é suficiente para proteger a camada de ozônio, o que exige um consumo responsável por parte de todos nós – economizando energia elétrica, além de privilegiar produtos com selos de responsabilidade ambiental. Mãos à obra, a natureza e nossa pele agradecem!